Insira seu email

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Mercado imobiliário volta a crescer em Cuiabá

O mercado imobiliário voltou a crescer em Cuiabá. É o que mostra a pesquisa feita pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis – Secovi em parceria com a Prefeitura Municipal de Cuiabá, no terceiro trimestre de 2016.


Esse foi o melhor período dos últimos 18 meses. Entre unidades novas e usadas, foram transacionadas 3403 unidades com um tickt médio de R$ 236 mil. A Região Oeste da capital liderou o volume de imóveis comercializados.

O presidente do Secovi/MT, Marco Pessoz comemora a reação do mercado imobiliário, que amargou uma queda brusca de outubro do ano passado a março de 2016, com variação entre 25% e 30%. Destaca a redução da taxa de juros anunciados pela Caixa Econômica Federal, nesta semana, que sairá dos 11,25% para 11%. 

“Ainda é um índice alto, mas já é um sinal de que estamos retomando o caminho da redução da taxa de juros, estabilidade econômica e do crescimento do país, para sair da crise. O terceiro trimestre nos confirma a ascensão do mercado constatada na pesquisa anterior. A diferença é que o tickt médio está maior do que no ano passado. Os números que a prefeitura nos passou demonstram que o mercado está reagindo positivamente após queda muito brusca, que teve reflexos da crise política e financeira do Brasil”, explicou Pessoz.

De acordo com o Secovi, após o impeachment, as pessoas estão mais maleáveis e percebem que é um bom momento para fechar negócios. A pesquisa analisa os tipos de unidades transacionadas: apartamento, casa, sala comercial ou terreno. Pessoz explica que o crescimento da região varia de acordo com a entrega dos empreendimentos, como aconteceu na Região Oeste que comercializou 835 imóveis usados e mais 222 novos. 

“Percebemos que o salto acontece, principalmente, com reflexo da entrega de prédios, pois a prefeitura contabiliza a partir do momento do registro de Habite-se”, esclareceu.

PESQUISA - Mesmo sendo a maior, a Região Sul registra transações com menor ticket médio R$ 113 mil. Enquanto que na Oeste é de R$ 294 mil; na Leste R$ 236 mil e a Norte é de R$ 323 mil. Nesse mesmo período em 2015 foram 3322 imóveis comercializados, enquanto que 2016 registrou 3403. Análise da Variação em unidades transacionadas no mesmo período é de 16,98%.

Fonte: www.informanews.com.br
ITIMARA FIGUEIREDO - Redação